Líder de mercado wireless em toda América Latina! (0xx 595 61) 503 343 - 503 508

Notícias


Em 25 anos, consumidor vai gerar em casa energia equivalente a 6 Itaipus

Cerca de 700 telhados de residências, comercios ou industrias no Brasil tem um painel solar que gera energia para o consumo local. E, quando sobra, ele pode servir a outros consumidores.

Os donos desses raros painéis são pioneiros em uma tecnologia que pode virar corriqueira no país.

O estudo "New Energy Outlook 2015" da consultoria Bloomberg New Energy Finance, aponta que, daqui a 25 anos, um quinto de toda a capacidade instalada brasileira não virá de usinas, mas da chamada geração distribuída, produzida por consumidores principalmente a partir de painéis fotovoltaicos.

A análise considera que a capacidade instalada no Brasil, hoje de 132 gigawatts (GW), será de 383 GW. Do total, cerca de 80,5 GW virão dessa nova fonte.

A energia gerada por consumidores será equivalente a quase seis Itaipus, usina que tem capacidade de 14 GW. Até lá, essa modalidade de geração receberá US$ 93 bilhões em investimentos no Brasil.

Segundo Lilian Alves, analista da Bloomberg para a América Latina, as previsões são feitas a partir de uma avaliação sobre qual matriz energética fará mais sentido econômico em cada país.

A energia solar, ainda considerada cara, deve ficar mais competitiva. Espera-se uma redução de 50% em seu custo devido à maturação da tecnologia e ganhos de escala.

O primeiro passo para que a geração distribuída se tornasse realidade foi dado em 2012, quando a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) editou a resolução normativa 482, que estabeleceu as regras para a micro e a mini geração de energia (com potência instalada de até 100 KW e entre 100 KW e 1.000 KW, respectivamente).


A resolução permite que a energia gerada em momentos de menor consumo seja inserida na rede e dê origem a créditos.
 

Assim, uma casa que usa menos energia durante o dia envia o excedente produzido enquanto o sol bate em seu telhado para a distribuidora de sua região. À noite, quando o consumo sobe, a energia que seus moradores gastam tem desconto equivalente à quantidade de energia que havia sido enviada à rede.
 

A professora de enfermagem Isabel Cruz, 56, está entre as que já começaram a sentir no bolso o impacto da microgeração de energia.
 

Ela conta que, até a instalação de um painel solar com 10 placas fotovoltaicas em sua casa, no Rio, pagava uma conta mensal que variava entre R$ 300 e R$ 400. Em julho, pela primeira vez ela ficou feliz ao receber a conta de luz, que caiu para R$ 80.
 

Cruz conta que, para a instalação, usou uma reserva com a qual pretendia comprar um carro, no valor de R$ 38 mil. Segundo ela, ao contrário do veículo, o painel solar não perde valor ao sair da loja. Pelo contrário, dará ganho financeiro devido à economia que proporciona.

 

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/08/1673817-em-25-anos-consumidor-vai-gerar-em-casa-energia-equivalente-a-6-itaipus.shtml

ATENÇÃO: Não fazemos entregas no Brasil. Retirar na loja.